Header Ads

test

Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará ainda não foi notificado sobre greve abusiva




“Comunicamos a toda a sociedade paraense que não recebemos nenhuma informação oficial por parte do Poder Judiciário sobre a suposta declaração de abusividade de greve. Portanto, não podemos nos manifestar sobre isso.

Caso sejamos comunicados oficialmente, a assessoria jurídica do SINDTRAN fará a contestação pelo exercício do contraditório, uma vez que não consideramos que a greve de 27 dias dos trabalhadores de trânsito tenha infringido alguma norma, lei ou a Constituição Federal. Consideramos a greve legítima, legal e totalmente dentro da normalidade na relação transparente com a população, com a administração pública e com os trabalhadores.

A única decisão até o momento, por parte do sindicato, é a manutenção da greve, que será avaliada nesta quinta-feira, 10/05, a partir das 11 horas da manhã, em Assembleia Geral, no acampamento de greve, localizado no Detran sede, na Avenida Augusto Montenegro.

Enfatizamos que a categoria considera abusiva a política fiscal do governo, que isenta grandes empresas que deixaram de pagar mais de 16 bilhões de reais, de 2011 a 2018. Abusiva é a crescente corrupção existente no Detran, como a nomeação de gerentes fantasmas em unidades do interior do estado com cargos DAS, percepção de diárias, carro oficial e combustível bancado com dinheiro público. Abusiva é a terceirização com a entrega do patrimônio público ao setor privado; a crescente violência no trânsito; e o assédio moral.

Abusivo é o congelamento de salarios, o desrespeito, o desprezo e o descaso do governo em relação aos servidores públicos concursados, que todos os dias se empenham para atender honestamente a população, apesar das mazelas enfrentadas nas unidades de uma instituição sucateada em todas as regiões do Pará, que deixa os servidores em processo de adoecimento crescente por trabalhar em ambientes insalubres e não ter garantidas as condições mínimas para o atendimento da população. Por todos esses motivos, que esta greve chega a 70% de adesão dos Trabalhadores de Trânsito em todo o estado.

A greve estadual segue até decisão da categoria em Assembleia Geral”.

Diretoria do Sindtran

Nenhum comentário